Sobre ser mãe.

Ser mãe…

É sentir-se mais feliz, mesmo diante de tantas tarefas, incontáveis e inacabáveis;

Sentir-se mais segura em relação a si mesma, ao outro, pensar mais, estudar mais, querer saber mais, querer ser melhor enquanto pessoa, querer dar exemplo bom;

Sentir obrigação e desejo de ser melhor, de corrigir os erros, de pedir perdão, de aprender mais, de fazer mais, de cozinhar mais. Ser mãe é sempre mais, mesmo quando o que sobra é o menos…

Menos tempo para se cuidar, para estudar, para cozinhar, para comer…

Tudo o que queremos mais, temos menos tempo para realizar quando somos mães. Essa é a graça existente nos contrários da maternidade, a mulher que se desdobra para fazer o que precisa e o que acha essencial, coisas que até então eram tidas como corriqueiras e algumas vezes até sem sentido algum.

Fico pensando o tempo livre que tinha antes de ser mãe, poderia ter feito mais coisas, ter ido mais ao cinema, lido mais livros… Ter dormido mais não conta. Isso sim eu fiz muito! Mas considerando que sono não é cumulativo, já estou com déficit nessa área.

Luca Bertoni 2014 por MAB
Luca 2014 por MAB

 

Enfim, mesmo com o filho o dia todo, 24 horas na barra da saia, algumas mães querem aprender mais sobre o universo infantil, ficam curiosas em relação à maternidade, existe uma necessidade de compreender e ser compreendida.

Depois de ser mãe parece que tudo o que vimos antes não resolve muitos problemas, o que resolve mesmo é encarar a nova situação e ir aprendendo enquanto se cuida. Pois, somente o nosso jeito parece o melhor na hora dos cuidados com o filho. Acho que é isso que torna a mãe um ser tão especial e único, cada uma desenvolve ou adapta suas próprias técnicas, cria ou recria sua identidade de mãe no contato com o filho, e o filho pode até ficar com outra cuidadora, mas sabe que entre ele e a mãe existe uma cumplicidade tão grande, que um simples colinho pode até aliviar uma dor de barriga.

Antes de ser mãe parece mais fácil estabelecer limites, controlar birras e fazer dormir. Descobrimos que estávamos erradas, tarefa árdua!

Culpa de mãe nem se fala já li tantas coisas a respeito, tipo:  “mãe já estreia com culpa”. É assim mesmo, se o filho comeu, se não comeu, se machucou, se fez birra… Em tudo tem uma mãezinha super protetora que tenta nos fazer sofrer com a culpa. Cuidamos com dedicação e amor, mas vezes ou outras ainda nos achamos  as piores mães do mundo.

Se meu filho está com restrição alimentar por algum motivo, me vejo seguindo a dieta dele. Não porque eu precise, mas por pena de comer o que ele tanto gostaria e não pode. Coisa de mãe também…

Pode ser que todos esses fatos não se passem com algumas mulheres, mas isso não fez delas menos nem mais, mãe tem particularidades, cada uma é como é, e todas elas tem o direito de escolher como quer ser, ou como pode ser nessa jornada com os filhos.

O fato é que ser mãe foi a melhor coisa que já me aconteceu, foi meu milagre, meu presente, e eu nem sei bem como descrever melhor essa sensação, por isso fico recorrendo às palavras, elas vão dando forma aos pensamentos, mas acho que explicar mesmo os mistérios da maternidade não dá, os sentimentos extrapolam o limite da escrita.

Louvado seja Deus por tão linda criação que fez as mães e os filhos.

Beijos.

Marcela.